0 produtos   –   0,00 €

Carrinho de Compras ×

Não existem produtos no carrinho


Palavra Encantada: a escrita e o escritor

Escrito em 11 de maio de 2020


Olá, cúmplices da escrita!


   Uma das lições mais importantes, adquirida ao longo desta minha jornada enquanto escritora, foi encarar e aceitar a importância daquilo que faço.

O importante que é escrever. O poder da palavra.


   A escrita esteve sempre ao meu lado enquanto cresci, mesmo sem eu dar conta. Contudo, eu estava tão dedicada a outros objetivos na minha vida que nunca imaginei vir a ser escritora. Foi apenas quando terminei a minha primeira obra, quando senti, no meu âmago, a felicidade surreal de ter escrito um livro, que tudo mudou. Em parte, pela vitória de ter superado o desafio que me foi feito. O sabor de satisfação, por ter acreditado em mim. Mas, em simultâneo, foi o momento em que me deparei com as infinitas possibilidades que me aguardavam. Deparei-me com uma nova jornada, repleta de responsabilidade.


Qual é a importância da escrita?


   Para mim, a escrita é um pilar fundamental da humanidade. É o nosso passado e presente. Com a escrita, recordamos e planeamos. É o registo e o desafio. Com a escrita, aprendemos e evoluímos. É empatia. Com a escrita, evocamos e confrontamos emoções. É informação e poder. Com a escrita, transmitimos ideias e vivemos em sociedade. É imaginação e criatividade, sendo também o nosso futuro. Concordam?


   O poder da palavra é algo que, muitas vezes, não damos a devida importância. Mas a verdade, é que aquilo que escrevemos, aquilo que escolhemos escrever, possui o poder de mudar o mundo. Não querendo com isto dizer que esse deverá ser o vosso objetivo ao escrever. Apenas salientar que pode ser, ou ainda, que tem o poder para ser.

   Palavras mudam vidas. Porquê? Porque dão corpo às nossas ideias. Porque inspiram mudança. Porque confortam. Porém, também condenam, aprisionam e manipulam. Como todo o poder, e tudo na vida, existem sempre duas faces. O importante, é a forma como escolhemos utilizar esse poder que nos aguarda, silenciosamente, na ponta dos dedos. Este tema poderia dar um livro! Mas a minha intenção é fazer uma chamada de atenção sucinta. Quem sabe, sugerir uma pequena reflexão e introspeção a todos vós, cúmplices da escrita, que estão a ler este post.


No seio desta reflexão, continuo com mais uma questão crucial: qual a importância do escritor?


   Enquanto escritora, sou o veículo das minhas palavras e ideias. Independentemente do género que escrevem, os escritores são seres humanos dotados da capacidade de utilizar um número limitado de letras e criar mundos, provocar emoções, registar história e desenvolver todos os temas possíveis e imaginários. Sim, escrever é um dom! Pelo menos, eu acredito firmemente que sim. De inicio, esta ideia foi estranha pois, para mim, escrever é fácil, tão natural quanto respirar. Mas todos nós possuímos capacidades únicas. Visões únicas. Se aliarmos essa noção, à capacidade de acreditar em nós próprios e ainda, confiar no nosso instinto, encaramos pura magia. As palavras surgem-nos da alma e desenvolvem por elas. Sem pressão, sem julgamentos. Quando conseguimos limpar a mente e entregar-nos ao nosso dom, a arte da escrita sobrepõe-se a qualquer medo, a todas as expectativas e, por um breve segundo que seja, sentimo-nos verdadeiramente livres. É o nosso legado para com o mundo.

   Portanto, cúmplices da escrita, celebrem!

Nós escritores, contribuímos para um dos pilares da humanidade. Percebem, agora, a minha opinião quanto à importância de um escritor?

Podemos não ser super-heróis mas possuímos, garantidamente, um superpoder. :)


   Não é um caminho fácil mas, nada na vida o é. Acima de tudo, não se esqueçam, medo ceifa sonhos, crença ilumina destinos. Da próxima vez que escreverem, acreditem no vosso dom. Escrevam com alma e confiem na vossa intuição. Escrevam um livro, um poema, uma carta, uma série, um filme, uma peça de teatro, uma lírica, o que vos possa fazer felizes! Escrevam com veracidade. Escrevam com alma. Sintam orgulho na vossa essência.

O mundo precisa de sonhos, ideias e sim, superpoderes. O mundo precisa de escritores.


Muita inspiração!
Xo,
Susana