0 produtos   –   0,00 €

Carrinho de Compras ×

Não existem produtos no carrinho


Palavra Encantada: Escritor Pedro Paulo Câmara

Escrito em 29 de Jul. de 2020


Olá, cúmplices da escrita!


   Hoje, o post do Palavra Encantada, é dedicado a um cúmplice da escrita que eu estimo muito, o escritor Pedro Paulo Câmara.


Sinto grande orgulho ao partilhar um pouco do percurso do Pedro, pois tenho o privilégio de o conhecer pessoalmente e, além de ser um excelente escritor, é um ser humano admirável. A primeira vez que me deparei com a escrita do autor açoriano, natural da ilha de São Miguel, foi no encontro de escritores Pedras Negras, inserido no Azores Fringe Festival. Não deixou margem de dúvida quanto ao seu talento e foi, em simultâneo, o começo de uma bela amizade.

   Vou começar por revelar que a ligação do Pedro Paula Câmara com as letras é intensa e marcante na sua vida pois, sendo licenciado em Português-Inglês, pela Universidade dos Açores, com Curso de Especialização em Estudos Interculturais – Dinâmicas Insulares, também pela Universidade dos Açores, é professor desde 2003, sendo, na atualidade, coordenador do Centro de Ocupação-Circum Escolar “Farol dos Sonhos” e formador, em diversas escolas privadas, das disciplinas de Português; Linguagem e Comunicação; Fundamentos de Cultura, Língua e Comunicação; Portefólio Reflexivo de Aprendizagem; Cultura, Comunicação e Media; Culturas de Urbanismo e Mobilidade; Língua Estrangeira-Inglês (Iniciação e Continuação) e Aprender com Autonomia. Desde setembro de 2019 leciona Inglês na Academia Sénior da Universidade dos Açores. É mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, com a classificação de 19 valores, por unanimidade, com a dissertação Violante de Cysneiros: o outro lado do Espelho de Armando Côrtes-Rodrigues?”. (Parabéns, Pedro!)

   O primeiro livro que li, ou melhor, devorei – aconselhando, vivamente, a leitura – , do escritor Pedro Paulo Câmara chama-se “Na Casa do Homem Sem Voz”, sob a forma de poesia, foi lançado em 2016. A poesia, na verdade, já se havia manifestado noutras obras, tais como, “Perfumes”, lançado em 2011 e “Saliências”, lançado em 2013. Segui-se uma dedicação à prosa com as obras “Cinzas de Sabrina", lançado em 2014 e ainda, na sua obra mais recente, “Contos da Imprudência”, lançado no inicio deste ano. Além destas obras maravilhosas, podemos encontrar a escrita do Pedro em diversas coletâneas. São elas: “A Luz de Natal”, da Editora Sui Generis, “Entre o Sono e o Sonho”, da Chiado Editora, “O Lado de Dentro do Lado de Dentro” – projeto que visa a promoção da leitura em ambiente prisional –, “Coletânea Literária I”, da Academia de Letras e Artes de Portugal, e “O Livro da Amizade” – uma obra que visa promover a aproximação literária entre os Arquipélagos da Madeira e Açores.

   No seio desta brilhante jornada literária, o escritor Pedro Paulo Câmara é, em simultâneo, culturalmente bastante ativo! Dinamizou diversos encontros literários e conversas literárias dentro e fora da Região Autónoma dos Açores. Apresentou, ainda, diversas obras de escritores regionais e nacionais e é autor de diversos prefácios, sendo que é frequentemente convidado para realizar palestras em escolas. Foi colaborador da revista poética “A Chama – Folhas Poéticas”, colaborador do magazine local “O Poente” e, nos anos de 2014, 2015 e 2016, o coordenador dos saraus poéticos "Vozes de Lava". Foi, ainda, convidado a participar na revista “Sem Equívocos”, e em 2017, assinou uma crónica quinzenal na “Bird Magazine”.

   O talento do escritor Pedro Paulo Câmara foi alvo de várias conquistas, sendo que em 2011, foi galardoado com a menção honrosa no Concurso Aveiro Jovens Criadores, na área de Literatura, com o conto “Madrugadas”, pela Câmara Municipal de Aveiro, e, em 2013, foi o vencedor do concurso regional DiscoverAzores, promovido pela Miratecarts, com o conto “(Re) Descobrir Açores. Em 2016 foi reconhecido pela Junta de Freguesia de Ginetes, na Gala “Prémios Evidência”, na categoria Arte, com atribuição de Troféu, em reconhecimento pelo “importante contributo na dinamização cultural e promoção cultural local e regional”. Em 2018, foi o vencedor do Concurso Literário “Até que a Vida nos Separe”, promovido pela editora Papel d’Arroz, com o conto “Não te quero Assim”. 


   Revelando outra faceta da vida do escritor, recebeu, em 2016, a distinção Cruz de São Jorge – 3ª classe – Bronze, do Corpo Nacional de Escutas, em reconhecimento pelos serviços prestados. É, desde 1993, membro do Agrupamento 1065 – São Sebastião, do Corpo Nacional de Escutas, tendo assumido, em 2015 as funções de Chefe de Agrupamento, imprimindo uma nova dinâmica ao Agrupamento. Ao longo de cinco anos, foi membro da Assembleia de Freguesia de Ginetes e membro da Direção da Casa do Povo de Ginetes e, também desde 2015, é membro da Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia, tendo sido em 2017, secretário do Conselho Fiscal. Em 2018 passou a assumir funções de Adjunto da Direção, tendo apresentado, já, diversas comunicações nos Colóquios organizados pela Associação e sido responsável pelos serviços de Secretariado dos mesmos Colóquios. Em 2020, foi nomeado vice-presidente da AICL: Tem desempenhado funções, ainda, de moderador de diversos painéis.

   Foi, no ano de 2017, que assumiu ser representante, em São Miguel, da Chiado Editora.
Continuando a somar vitórias, é, desde julho de 2017, Académico Correspondente da Academia de Letras e Artes de Portugal e, ainda, desde abril de 2018, Académico da Sociedade Brasileira de Poetas Aldravianistas. Recentemente, no decorrer deste ano, passou também a ser, Padrinho Internacional do CriaPOESIA – Encontro Juvenil do Atlântico.


   A jornada do escritor Pedro Paulo Câmara tem sido maravilhosa e repleta de emoções. Fico feliz por poder acompanhar tamanho sucesso. O mundo precisa de escritores.

Obrigada, Pedro, pelo teu contributo incrível, seguramente, inspirador, para mim, e para os leitores!

Não se esqueçam de visitar as redes sociais e site do autor para acompanhar todas as surpresas:

@pedropaulocamara

http://pedropaulocamara.wordpress.com

Se ficaram curiosos, relembro as suas obras literárias, merecedoras de uma leitura atenta:

"Perfumes" (Poesia)


"Saliências" (Poesia)

"Cinzas de Sabrina" (Prosa)


"Na Casa do Homem Sem Voz" (Poesia)


"Contos da imprudência" (Prosa)

Para vós, cúmplices da escrita que me acompanham, e para ti, querido amigo Pedro Paulo Câmara, votos de muita inspiração!

Xo,

Susana