0 produtos   –   0,00 €

Carrinho de Compras ×

Não existem produtos no carrinho


Palavra Encantada: Escritora Diana Zimbron

Escrito em 05 de junho de 2020


Olá, Cúmplices da Escrita!

   Hoje, dedico este post a uma cúmplice da escrita muito querida, Diana M. Zimbron.
Conheci a Diana e parte do seu trabalho incrível, aquando a participação no encontro de escritores Pedras Negras, inserido no Azores Fringe Festival. Tenho acompanhado o seu percurso, deveras interessante, com grande orgulho e estima, pelo que não poderia deixar de divulgar a autora açoriana, natural da ilha Terceira, aqui no blogue Palavra Encantada.


   Descortinando um pouco a origem da sua jornada no mundo das letras, a Diana começou a ler aventuras, inicialmente por obrigação, durante as férias e depressa, o novo passatempo, tornou-se numa obsessão. A autora admite ter encontrado na biblioteca de empréstimo de Angra do Heroísmo, uma valiosa aliada. Formou-se em educação de infância, pela Universidade dos Açores, em 2006 e trabalhou no ensino público, tendo oportunidade de experimentar a açorianidade em vários pontos do arquipélago.


   O seu primeiro romance “Temporário, Permanente”, escrito em várias épocas da sua vida, denotando o apetite pela escrita desde cedo, foi publicado no ano 2014. Dois anos mais tarde, em 2016, a Diana mudou-se para a ilha do Pico onde, o desejo e ambição de continuar a publicar, se uniu à associação Miratecarts. Com um sussurro do destino, participou no Encontro Pedras Negras, iniciativa daquela associação. O impacto positivo do evento abriu caminho a novos horizontes e projetos com artistas regionais, nacionais e internacionais.

   Mãe e educadora, a Diana compôs um conto infantil em verso, inspirando-se no ambiente familiar tipicamente açoriano. O livro “A menina que se picou num cato”, publicado no ano 2019, contou ainda com a colaboração, primorosa, do ilustrador holandês Pieter Adriaans.

Sim, tenho o livro e numa palavra: Adorei! O texto da Diana e as ilustrações do Pieter, cativaram-me da capa ao último virar de folha. Sugiro, vivamente, a sua leitura! Parabéns aos dois artistas fabulosos!

   Querendo mais da sua jornada literária, a Diana aceitou colaborar com o Jornal Ilha Maior, através da crónica quinzenal “Que história é essa?”. E continuando a surpreender os seus leitores, provando, em simultâneo, que está sempre pronta para um novo desafio, a Diana aventurou-se numa parceria com uma rádio local, criando um programa semanal incrível de divulgação cultural e literária, intitulado “Dá-lhe Corda”, assumindo assim uma nova responsabilidade enquanto apresentadora e produtora.

   A persistência da Diana, aliada à extrema sensibilidade e paixão que tem pela escrita, levou-a a ganhar o Prémio de Escrita Miratecarts 2020, com o conto “Ser da Montanha”. Parabéns!!

Como tenho dito, o mundo precisa de escritores. Obrigada, Diana Zimbron, pelo teu contributo maravilhoso.

Não se esqueçam de visitar as redes sociais da autora e acompanhar todas as surpresas:

@ZimbronDiana

Se ficaram curiosos, relembro as suas duas obras literárias, merecedoras de uma leitura atenta:

“Temporário, Permanente”

“A menina que se picou num cato”

E claro, podem sempre contar com a sua presença semanal no programa “Dá-lhe Corda.”

www.radioilheu.com/

Para vós, cúmplices da escrita que me acompanham, e para ti, querida amiga Diana Zimbron, votos de muita inspiração!

Xo,

Susana